sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Maze Runner: Prova de Fogo – James Dashner

Prova de Fogo é o segundo volume da série “Maze Runner”, mas pode relaxar, esta resenha não contém nenhum spoiler, apenas apontei os pontos negativos e positivos do livro e não revelei nada além do que a sinopse do livro revela.

O livro começa exatamente onde o primeiro terminou, Thomas e os meninos estão dormindo logo depois de terem sidos resgatados por pessoas do bem que só querem ajuda-los. Certo? Errado.

No meio da noite os Clareanos são acordados por gritos agonizantes de criaturas disformes, os Cranks, no meio de todo o desespero eles descobrem que estão novamente (ou nunca saíram) em um teste de vida ou morte aparentemente pior do que os monstros e armadilhas do labirinto. Dessa vez eles não terão comida, água e ferramentas que os ajudarão a permanecerem vivos, será um por todos os todos por um.

Maze Runner: Prova de Fogo – James Dashner

Vindo do primeiro livro repleto de ação e uma narrativa fantástica eu só esperava encontrar a mesma coisa, ou se possível, ainda melhor no segundo livro, mas como diz aquela expressão eu fui com sede demais ao pote e acabei me deparando com o livro bom, mas não tão bom e envolvente quanto o primeiro. Realmente fiquei frustrado em muitas partes. A história em si é digna de muita ação, sofrimento e várias reviravoltas e isso tudo acontece, muitas vezes eu me deparei me sentindo nauseado por alguma coisa cruel que estava acontecendo com alguns personagens. James Dashner não falhou em nos entreter com mais uma história cheia de ação, o que me incomodou bastante foi que algumas cenas pareciam forçadas demais, sabe? Sempre tentando mostrar o sofrimento de cada personagem e não focando muito na história, isso acontece mais ou menos até a metade do livro.

Novos personagens importantes vão aparecendo ao decorrer da história e personagens que já conhecemos voltam a aparecer também, em geral eu achei todos os novos personagens bem introduzidos posicionados perfeitamente para cumprirem seus afazeres na história. Dentre eles temos Ari e Brenda, os mais importantes dentre todos os novos personagens, Ari tem uma história muito parecida com a do Thomas e por mais que eles se evitem, é impossível não serem tão próximos. Já a Brenda é uma novidade para Thomas, além dela ser uma menina ela também não é nem um pouco parecida com Teresa que era mais recatada e nada dela. Gostei bastante desses dois personagens e de como eles foram importantes para o desenvolvimento do livro.

Já disse que a narrativa não foi tudo o que eu esperava, mas preciso comentar um pouco mais. Os capítulos continuam da mesma forma, curtos e com cliffhanger no final, assim fica meio difícil de largar o livro, mas mesmo assim eu senti que estava muito lento, tanto o livro quanto a minha leitura. Não sei realmente o que aconteceu, se foi o autor ou se foi eu mesmo, mas não consegui me prender a história como aconteceu no primeiro livro, demorei uma semana para ler um livro que poderia ter lido em dois ou três dias.

O que mais me manteve curioso durante a leitura foi descobrir mais sobre o passado de Thomas com a C.R.U.E.L, por qual motivo ela foi criada, como funciona e qual será a conclusão disso tudo. Posso dizer que muitas das minhas perguntas foram respondidas, não complemente acredito que Dashner deixará para reponde-las no terceiro livro, mas muitas são respondidas e muitas novas perguntas surgem. Será que vamos finalmente descobrir qual o motivo de tudo isso?

Maze Runner: A Prova de Fogo é definitivamente um livro recomendadíssimo para os leitores que leram e gostaram do primeiro livro e apesar de decepcionar um pouco, o livro ainda assim continua sendo bom e uma leitura boa. Não vejo a hora de ler o terceiro, A Cura Mortal, já ouvi falar que é a mesma coisa do segundo livro, tem seus pontos altos e baixos, mas quero tirar minhas próprias conclusões.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

We were liars – E. Lockhart

Um verão. Uma Ilha. Uma família rica. Três primos. 

Um amigo da família. Quatro melhores amigos. Os Mentirosos. 

Um verão como todos os outros na ilha particular da família Sinclair, toda a família junta para passar o verão, todo mundo feliz, Cadance descobrindo o amor e uma tragédia. Uma tragédia que mudará não só a vida de Cadance, mas de toda a família Sinclair.

É apenas isso o que você precisa saber sobre a história, eu comecei a ler sem saber praticamente nada, então uma sinopse bem “vaga” irá fazer com que sua experiência com “We Were Liars” seja tão surpreendente como foi a minha. A palavra que tenho para descrever esse livro é Surpresa, nenhuma outra definiria meu sentimento após lê-lo.

We Were Liars

Todo o cenário do livro se passa na Ilha particular da família Sinclair, onde eles se encontram todos os verões. Cadance, Mirren, Jhonny e Gat formam um grupo de melhores amigos conhecidos como “Os Mentirosos”, os quatro apenas se encontram durante as férias de verão, mas sempre que se encontram a distância de tempo parece não existir. O verão é o momento deles, para serem felizes, esquecerem de suas vidas nos corredores da escola, do quão chato e entediante é fazer a lição de casa, tudo o que querem é se divertirem nas praias e casas da Ilha.

💗💗💗💗

Os quatro amigos têm a mesma idade e sendo assim, cada verão passado na Ilha é chamado de Verão+Idade que os quatro tinha, ou seja, Verão Treze, Verão Quatorze e Verão Quinze… Foi no Verão Quinze que a tragédia aconteceu. Algo aconteceu. Cadance não se lembra de quase nada que fez no Verão Quinze, desde o acidente ela tem dores de cabeças constantes e já faz dois anos que não visita a Ilha. Nós também não sabemos de nada, o livro é narrado em primeira pessoa e tudo o que nós sabemos é o que Cadance lembra… o que é bem pouco. Isso só faz com que o livro fique ainda melhor, esse suspense durante a história é a arma principal de E. Lockhart é com esse suspense que a autora nos prende até o fim de seu livro.

Apesar do livro ser pequeno a escrita da autora é tão incrível que a história parece ter o dobro do tamanho, é tudo tão detalhadamente explicado que realmente parecia que eu estava caminhando pela ilha dos Sinclair. Outra coisa que a autora é excelente são nas metáforas, houveram partes que eu fiquei de boca aberta com o que estava acontecendo para no final descobrir que tudo que estava sendo descrito era para expressar um sentimento de Cadance. Ser feito de idiota no fim do livro, tudo bem, agora o livro todo? HAHAHHA E. Lockhart mulher, precisamos conversar, não sei se te odeio ou se te amo… 💗💗💗💗

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Caçadores de Tesouros – James Patterson e Chris Grabenstein

Quem nunca, quando criança, quis ser um pirata? 

Viajar por todos os sete mares, procurar e encontrar diversos tesouros e viver várias aventuras em alto-mar? Não posso responder por vocês, mas eu sempre quis (e ainda quero!). Durante a leitura de Caçadores de Tesouros todos esses sentimentos voltaram junto com uma ótima nostalgia do quão bom era poder imaginar várias aventuras.

Após os pais de Bick Kidd desaparecerem misteriosamente, ele e seus irmãos Tommy, Tempestade e Beck terão que continuar os negócios de seus pais, conhecidos como importantes caçadores de tesouros. Junto de seus irmãos Bick irá enfrentar a maior aventura de sua vida, ele terá que lidar com piratas, ladrões, policia e mal feitores muito perigosos.

Caçadores de Tesouros

Tommy é o irmão mais velho e mais conhecido como cabeça-de-vento. Alto, musculoso, bonitão e um desastre perto das meninas, apesar de tudo isso ele é um grande líder e ótima figura de responsabilidade não só para seus irmãos, mas para nós leitores também. Tempestade é, literalmente, o cérebro da família com a sua habilidade de memorizar tudo o que vê e lê, o que é algo muito importante quando é preciso decorar o mapa para um tesouro ou algo assim. Por último temos os gêmeos Bick e Beck, os que causam grande parte da diversão da história, Bick é o narrador principal e Beck é a ilustradora, todos os desenhos incríveis no livro são feitos para que “supostamente” tenham sidos desenhados por ela. Uma fofura!

O livro é infantojuvenil, não chegue querendo exigir algo que o livro não prometa, é uma ótima escolha para quem procura uma leitura simples, rápida e mesmo assim com muito conteúdo e qualidade. Falando em qualidade, o que é essa edição que a #irado fez? Digna de muitos elogios e palmas, o livro é todo encadernado em capa dura, recheado de ilustrações em praticamente todas as páginas, uma ótima diagramação e um cheiro incrível, sério, para todos amantes de cheiro de livro, esse aqui é muito cheiroso! Uma edição para leitor nenhum botar defeito!

Como já disse, o livro é narrado em primeira pessoa por Bick Kidd e sendo assim, muitas horas divagamos junto com suas imaginações férteis. Ele e sua irmã gêmea Beck vivem tendo discussões, mas sempre acabam se perdoando, vivem juntos desde que nasceram, um completa o outro. Achei lindo ver essa relação entre irmão, que apesar das discussões, eles fazem de tudo pare que todos saibam o quanto eles são importantes uns para os outros e sem um deles a família Kidd não funcionaria.

O que achei mais legal que é em nenhuma parte do livro o autor diminuiu um personagem ou fez com que o estado deles estarem “órfãos” mudasse algo na história. Mesmo estando sem seus pais, eles nunca se deixaram desesperar e sempre pensaram em fazer algo para o benefício deles e de suas missões. Vale lembrar que apesar de Bick ser o narrador, todos os outros personagens tem a sua parte para brilhar, todos são importantes para que a exploração continue.

Com capítulos curtos e uma escrita tão agradável é meio que impossível parar a leitura, mesmo que seja por pouco tempo. Comecei em um dia e terminei no outro e isso por que tive que parar a leitura, tenho certeza que conseguiria lê-lo durante um dia. É impossível não se apaixonar por Tommy, Tempestade, Kidd e Beck, o jeito como eles nos mostram como é importante a comunicação, interatividade e união para as coisas darem certo é incrivelmente lindo. Me peguei várias vezes torcendo pare que tudo desse certo para essas crianças! 💗

Como o começo de uma série, muitas coisas não são explicadas detalhadamente, o autor deixou muitas perguntas para serem respondidas em suas próximas continuações, o que é bom por que aqui não podemos acreditar muito em quase ninguém, todo capítulo descobrimos um segredo chocante sobre algo ou alguém. Isso acontece de forma muito dinâmica e tudo em seu devido tempo.

Sem mais delongas, Caçadores de Tesouros é um livro ótimo! Recomendadíssimo não só para crianças, mas para pessoas de todas as idades, tenho certeza que qualquer pessoa que ler irá tirar pelo menos uma parte pequena do que nos é ensinado e levará para a vida. Não fique parado, corra para a livraria mais próxima e adquira sua edição, os irmãos Kidd mal podem esperar para contar suas histórias para você!

Resenha: Convergente, Veronica Roth

Essa vai ser uma resenha bem curta pelo simples motivo de eu não querer dar nenhum spoiler desse livro, a internet já está cheia deles. Então eu só vou comentar o que eu achei do final da trilogia Divergente e minhas opiniões sobre o livro Convergente.

Primeiro de tudo eu preciso dizer que eu gostei do livro, foram várias coisas, várias cenas e vários acontecimentos, mas o ápice foi a descoberta do que realmente são os Divergentes e como eles são e foram modificados. Mesmo que esse acontecimento não tenha sido dignamente desenvolvido e nem feito importância no livro, eu achei que foi uma tática incrível da Veronica Roth ter meio que “quebrado” o que ela nos ensinou lá no primeiro e ter nos apresentado uma explicação que faz mais sentido sobre a divergência. Falando em quebras, outra coisa que eu fiquei fascinado foi a história por trás das facções, como, com qual propósito e porque elas surgiram… Não foi só a Tris que ficou em estado de choque.



Ainda falando dos prós, eu gostei muito mais da Tris deste livro que da Tris de Insurgente, aqui ela está mais confiante de si mesma e parou de  se culpar por tudo o que aconteceu com seus ente queridos. Ela está tentando fazer de tudo para o bem da sociedade, mas ao fazer isso ela meio que acaba esquecendo das outras pessoas ao seu redor. Percebi que tudo estava sendo focado apenas nela.

Tobias foi um erro e um acerto nesse livro, os capítulos que contém seu ponto de vista são tão idênticos aos de Tris que várias vezes tive que voltar para a primeira página do capítulo para saber quem estava narrando. Sem contar que até metade do livro ele estava agindo mais como uma menina mimada do que Tris, estava irritante. Mas do meio do livro pro final ele provou ser um personagem masculino diferente de muitos outros personagens que já conhecemos, realmente gostei de como Tobias foi desenvolvido.

Porém, de um modo geral, a trilogia teve um final digno. Veronica Roth teve a coragem de fazer algo que falta em muitos autores, ela ousou e nos proporcionou um final triste e surpreendente. Não poderia estar mais feliz com o final digno que essa trilogia querida recebeu.

PS: Se você é uma daquelas pessoas que ficaram sabendo do spoiler final do livro e não querem ler por que já sabem o que acontece eu só tenho uma coisa para dizer: Leiam mesmo assim, dúvido que ficarão tão surpresos quanto eu fiquei.

Livros novos para mim

Chegou a hora do mês que mais gosto: Livros novos!! Irei colocar apenas os livros que comprei esse mês se não vai ficar muito extenso. Nessa última compra eu decidi por terminar as coleções que precisavam terminar ou pelo menos completar os livros já publicados, resolvi comprar uma nova série e também outros livros únicos e sem continuações para uma leitura mais leve e sem tanto compromisso.

Convergente

Convergente é o terceiro e último livro da trilogia Divergente, que pra quem não sabe se passa em uma versão futurística da cidade de Chigago onde as pessoas foram dividas, de acordo com suas personalidades, em cinco facções Abnegação, Audácia, Amizade, Erudição e Franqueza. Sendo assim acompanhamos a vida de Tris que descobre não pertencer em apenas uma das facções o que a torna uma Divergente e ser uma divergente é algo perigoso. Apesar de saber muitos spoilers sobre Convergente, eu estava animado com esse leitura e muito curioso sobre o que as coisas iriam acontecer, gostei bastante de como tudo terminou e logo logo postarei minha resenha aqui.

Vaclav & Lena

Vaclav & Lena conta a história desses dois amigos que apesar da dificuldade de Lena entender o idioma os dois acabam se tornando grandes amigos. Um dia Lena não aparece na escola e de repente some da vida de Vaclav sem dar nenhuma explicação e durante sete anos ele ainda se pergunta o que acontecera com sua melhor amiga. Apenas quando Lena completa 17 anos é que Vaclav descobre o que realmente acontecera com Lena. É uma sinopse e tanto, não?! Além dessa sinopse muito boa esse é um livro standalone (uma história que começa e termina num livro só), o que é quase raro hoje em dia.

Todo Dia

Todo dia conta a história desse ser que acordo todos os dias em um corpo diferente, podendo sem homem ou mulher, e nesse dia ele se torna essa pessoa. Esse ser acaba se apaixonando por uma pessoa e desde então ele tenta acordar no próximo dia o mais perto de sua amada. Sempre ouvi falar do David Levithan e nunca peguei nada dele para ler, como Vaclav & Lena, esse aqui também é um stand alone e foi por isso que resolvi começar a ler seus livros por Todo dia.

Mazer Runner Correr Ou Morrer
Prova de Fogo
A Cura Mortal

Mazer Runner Correr ou Morer, Prova de Fogo e A Cura Mortal são livros de distopia e contam a história de Thomas, um menino que de repente acorda no escuro de um elevador em movimento e a única coisa de que se lembra é o seu nome. Quando o elevador para ele descobre que não está sozinho, outros garotos o recebem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por enormes muros. A cada trinta dias um novo menino chega a Clareira, até que as regras mudam, e do nada, no lugar de uma menino, é uma garota que chega. Sempre tive vontade de ler esses livros, mas quando eu queria comprar cada um custa apenas R$ 50,00 reais… Nunca que gastaria tudo isso em um livro, o que me motivou ainda mais a lê-los foi saber que no filme, Thomas é interpretado por Dylan O’Brien, um dos meus atores preferidos 💗

O Códex dos Caçadores de Sombras

O Códex dos Caçadores de Sombras como ele mesmo diz, é o livro dos Caçadores de Sombras e vai nos contar com precisão vários fatos e acontecimentos do mundo das sombras. Cheio de ilustrações e imagens lindas o livro conta também com anotações dos personagens principais da série “Os Instrumentos Mortais” da Cassandra Clare.

Príncipe Mecânico

Princesa Mecânica

Príncipe e Princesa Mecânica são os segundo e o terceiro livro da trilogia “As Peças Infernais” habitada no mesmo mundo de Caçadores de Sombras da Cassandra Clare, a diferença é que esses aqui acontecem em Lodres Vitoriana pro ano de mil oitocentos e bolinhas…Li o primeiro faz quase um ano e não via a hora de poder terminar essa trilogia logo!

Enders

Enders é o segundo e último livro da duologia Starters. Enfim, esses foram os livros que adquiri neste, espero que tenham gostado. 👍